Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AL3X

Autodidata da Geração X. Espaço dedicado para reflexões positivas. Modelação de comportamento e aprendizagem de novas competências. Rumo ao melhor de mim.

AL3X

Autodidata da Geração X. Espaço dedicado para reflexões positivas. Modelação de comportamento e aprendizagem de novas competências. Rumo ao melhor de mim.

09.07.20

Perdi o norte


AL3X

beige-analog-gauge-697662.jpg

Perdi o norte! Mas que bela sorte. Aqui abandonado e de casa vazia com todo o tempo do mundo, mas num total desnorte. Podemos caminhar rumo ao topo, mas uma distração faz-nos cair sem dó nem piedade. Os hábitos antigos são difíceis de perder. Tanta coisa para morrer no fundo. Claro que conhecendo o caminho é mais fácil subir e evitar os erros, mas uma semana perdida não se recupera nunca.

Afinal de contas o maior ativo que temos é mesmo o tempo. Imagina tu que podíamos parar o tempo para viver uma aventura ou comandar o nosso destino com tantas as tentativas quantas as necessárias. Não seriamos fruto da experiência mas sim de algo maior, como a persistência. Saber que vencíamos sempre independentemente de perder. É estranho como aqueles filmes que abordam a repetição de um dia incessantemente não mostram a positividade de explorar todos os detalhes de uma existência. Quem saiba me torne argumentista ou romancista. A ideia principal era acompanhar alguém preso no tempo que se diverte até à exaustão e tenta sempre explorar o máximo da situação. Mas depois aparece um eco do passado ou do futuro que lhe mostra que ele tem de avançar e resolver um mistério. Aqui dá-se a primeira ação, ele está afinal morto e têm de ajudar a resolver o seu homicídio. Mas só consegue falar com uma detetive que também já morreu. e depois de horas de falarem juntos apercebem-se que morreram no mesmo acidente.

é melhor eu parar por aqui. mas vou escrever um argumento só pela brincadeira e tentar vender. Sou especialista a escrever merdas sem sentido em segundos. Sou uma verdadeira máquina de expelir fezes em formas de oralidade.

Dá para ver que estou queimado? São os efeitos da solidão, sozinho em casa não me apetece estudar, os CVS que mando não recebo resposta e confesso que fui-me abaixo. Mas rapidamente, hoje, e após uns 4 dias de não fazer nada, que posso ver algo positivo. Aproveitar a sério o tempo para estudar e fazer um projeto interessante na área da programação.

O problema é um curso que paguei no udemy que é tão extenso que me dá sono. mas vou acabar o bicho, nem que seja a última coisa que faça.

Se chegaste até aqui, peço-te que dês um nome para o meu argumento. Quem saiba não o publique aqui à medida que vou escrevendo e pensando na evolução da história. E por falar em história convidaram-me para um projeto interessante no youtube, que terei de recusar porque não sou capaz de levar tanta coisa ao mesmo tempo.

Tenho de simplificar as coisas, menos é mais.

Dedicar-me ao blog novamente com estes devaneios, continuar a aprendizagem da programação para ser um grande programador, família e filhos e perceber como posso escrever um argumento e criar algo com isso.

Fiquem bem!

 

03.07.20

linkedin, a terra de ninguém


AL3X

gray-caution-alligators-label-panel-1119040.jpg

Já não é a primeira vez que abordo o linkedin. Mas realmente faz-me impressão ver patrões a escrever para as massas, mas amassarem os empregados. Vejo recursos humanos a criar longas linhas do recrutamento inclusivo e depois excluirem todos aqueles que não passam no algoritmo. Vejo pessoas muitas a fazerem ruido, mas pouca vontade em passar daí.

É realmente frustrante ver o mercado de trabalho a deglutir e a assinar tantos sonhos.

 

 

02.07.20

o caminho sem idade.


AL3X

side-view-photo-of-a-man-smoking-cigarette-3779060

 

nunca seremos demasiados novos nem excessivamente velhos para iniciar um caminho.

mas a vida é feita de degraus que socialmente vão excluindo as pessoas mais velhas. São os algoritmos desculpam-se os profissionais dos recursos humanos. Preferimos pessoas sem vícios dizem os patrões e aos poucos as esperanças e sonhos vão morrendo. Os sonhos não morrem com a velhice, mas são silenciados pela calada, pelos limites das palavras que nos dirigem e pelos medos que ganhamos na caminhada.

Por isso o segredo é continuar caminhando, nesta caravana que é a vida, porque teremos sempre os cães, que acorrentados irão ladrar atrás dos muros que não querem saltar e dos portões que não querem abrir.

sejam felizes e acreditem em vocês.

Foto de cottonbro no Pexels

 

01.07.20

Olhando para cima


AL3X

 Foto de Juhasz Imre no Pexels

 

Passamos tanto tempo a olhar para a frente ou para cima, que nos esquecemos  onde pusamos os pés. Nem sempre o fundo do poço é liso e muitas vezes podemos cair ainda mais. Nem sempre nos bons momentos temos gente para apreciar as nossas conquistas, mas muitas vezes temos gente para nos ver cair.

O grande truque nesta vida é sabermos nos levantar sozinhos ou apreciar as vitórias por nós, não para mostrar aos outros. Se não tivermos foco no que queremos, acabamos por dar ouvidos às vozes que chegam ao céu. Por isso aprender a valorizar as nossas conquistas, independentemente de quem vê. É meio caminho andado para sermos felizes sempre. Porque aos olhos dos nossos vizinhos, a felicidade é moldada pelas vontades e pelas modas, não pelo esforço e pelo sacrificio.

 

Foto de Juhasz Imre no Pexels

 

27.06.20

34/100 um mês


AL3X

UAU. Faço um mês de postagens seguidas e 34% do objetivo completo. O mês passa num instante.

As aulas acabaram e surgiu uma oportunidade em algo que implica mudar o chip. Arriscar como trabalhador comissionista e perder o acesso a bens essenciais que venho tendo desde 1998 como acesso a baixas e proteção ao desemprego juntamente com um salário médio, ou arriscar num mercado comissionista como trabalhador independente e arriscar ganhar mais e ter de pagar todas as despesas.

A minha cabeça anda a mil, mas não me desvio do que tracei na minha auto aprendizagem.

25.06.20

32/100 as pessoas são burras


AL3X

As pessoas são burras, mas graças a Deus, não todas, porque caso contrário era uma valente porcaria.

Tenho consultado muita informação sobre cursos e formações, o Facebook como bom espião, coloca no meu feed várias informações sobre novos cursos que me podem interessar e eu nem me importo. Por norma os cursos tem a informação toda disponível após carregar no botão que diz, saber mais. Ora a quantidade de preguiçosos que nos comentários fazem perguntas disponíveis nessa informação é assustadora.

Pergunto-me como é que estas pessoas vivem o dia a dia?

24.06.20

31/100 quebra


AL3X

Tive uma quebra de motivação enorme. Não consigo arranjar emprego e sinto uma pressão enorme ao sentir que as horas de estudo são inglórias, tendo em conta os bootcamps com preços altíssimos que proliferam pela net como cogumelos gourmet, são mais bem vistos que sermos um autodidata.

Vou engolir as lágrimas e continuar, mesmo que me consuma, tendo em conta que preciso disto para mudar de emprego e quem sabe trabalhar a partir de casa e acompanhar a família como tanto quero.

Estas quebras anímicas são normais, a forma de as combater é continuar e enganar o cérebro, pois só assim conseguimos criar resiliência face á adversidade. O importante é rapidamente ganhar balanço e voltar ao ataque.

 

23.06.20

30/100 - férias


AL3X

impressão minha, ou marcar férias hoje em dia é como jogar aquele jogo de minas do windows 98, em que tinhamos de escolher quadrados conforme a indicação das bandeiras, chegavamos a um ponto onde tinhamos a certeza do local das minas, mas havia ali uma certa dúvida em alguns pontos.

Reservei férias fora do meu conselho, mas apenas porque fica muito mais barato, a ideia é mesmo poupar dinheiro e como estou pobre e preciso de ver o mar, escolho um local a poucos kms do mar, mas longe o suficiente da confusão, mas dentro da civilização.

Mas escolher os locais de férias tendo em conta a DGS e os seus comunicados, invalidam quase Portugal inteiro.

Haverá assim tanto receio de tornar a máscara obrigatória quer seja na rua ou no trabalho, libertando apenas crianças com menos de 6 anos?

Isto não está bonito e cheira-me que vamos passar Agosto fechados em casa!